Checklist para montagem de escoramentos



Produtividade é a palavra de ordem na construção! Com orçamentos e prazos cada vez mais apertados, e com o aumento constante no preço dos materiais de construção, tornar-se mais eficiente na montagem e no uso de equipamentos, torna-se cada vez mais importante.
Porém, para que isso aconteça, é necessário que a construtora acredite em seus colaboradores, e contribua para a capacitação contínua, além do desenvolvimento de novas habilidades e competências.

A TIP possui especial preocupação com esta necessidade, e dispõe de profissionais especializados e dedicados, à capacitação de equipes de montagem de seus clientes, para que obtenham a máxima performance no uso de seus equipamentos, além de abordar regras de segurança e gestão do uso dos mesmos.
E contribuindo para sua melhor performance, elencamos 10 passos para iniciar uma montagem de Escoramentos Metálicos (ou Cimbramentos), com segurança, economia e produtividade.

1. Verifique as condições do solo ou do piso, onde serão apoiados os elementos do Escoramento, pois eles deverão estar aptos a responder as transmissões diretas de cargas que os escoramentos irão transmitir.
2. Disponha as bases dos elementos no local da montagem se possível, já as posicionando próximas aos espaçamentos pré definidos em projeto.
3. Ao montar as torres, já venha conferindo a posição em relação aos elementos referenciais da obra (ex: próximo ao P21), observando sempre as cotas de projeto.
4. Nas escoras, verifique sempre se esta necessita do uso de Tripé, observando o projeto, Ao envolver a escora com o Tripé, certifique-se de que a cunha responsável por sua fixação à escora esteja bem colocada. Agora, caso deseje montar algo no topo da escora, pode utilizar uma das alças do Tripé para subir, pois sua angulação foi projetada para este fim.
5. Após os elementos montados, e sem vigamentos, é hora de conferir alinhamento, prumo e nível pois, após a colocação dos vigamentos primário e secundário, esta tarefa será bem mais difícil.
6. Agora, é hora dos Vigamentos Principal e Secundário (conhecidos como Barrote e Longarina). Neste momento, todas as cotas, dimensões e espaçamentos de vigas devem ser rigorosamente respeitados, sendo qualquer adversidade detectada entre o projeto e a realidade, reportadas ao engenheiro da obra, para que acione as equipes técnicas da fornecedora do Escoramento, solicitando sua visita.
7. Todas as peças de rosca, pino ou qualquer outro dispositivo de regulagem, devem ter considerados em seus ajustes, uma distância mínima e segura para e descida de regulagem no ato da desfôrma.
8. Em casos de tiras de reescoramento nas fôrmas, as escoras de reescoramento já devem ser posicionadas em seus lugares previstos para que permitam a estabilidade das estruturas ainda que haja uma desfôrma prematura das estruturas, para sua reutilização.
9. Faça uma conferência geral de prumo, alinhamento e nível, utilizando ferramental adequado acompanhado sempre das últimas revisões dos projetos Estrutural e de Escoramento.
10. Em torres de elevada altura, em bases ou em lajes inclinadas, recomenda-se o uso de Tubos e Abraçadeiras metálicas, que unificarão o conjunto, tornando-o mais suscetível a esforços horizontais.
11.
Essas são algumas regras para o início da montagem dos Escoramentos. Aguarde! Em breve, publicaremos mais checklists que o ajudarão a ter desempenho e resultados incríveis!

Visite nosso site e saiba mais.
É rápido. É prático. É TIP!
#TipEquipamentos #Formas #Escoramentos #Andaimes #BandejasDeProtecao #CargaMecanizada #TipFlex #TipSafe #TipTech #LocacaoDeEquipamentos #Construcao